terça-feira, 9 de novembro de 2010

Operação Peixe Legal - Apreende peixes

A Operação Peixe Legal, realizada pela Polícia Ambiental desde a última sexta-feira, já aplicou nove multas que totalizam R$ 850.300 contra donos de peixarias e pescadores que comercializavam pescados irregularmente em plena vigência da piracema. Os peixes estariam estocados em menor ou maior quantidade em relação ao que teria sido declarado pelos profissionais.





Até ontem à tarde, cerca de 15 estabelecimentos e comerciantes autônomos haviam sido fiscalizados. No total, foram apreendidos 410 quilos de peixe não declarados. As irregularidades foram constatadas em sete locais. A quantidade de peixe estocada precisa ser declarada aos órgãos ambientais até o segundo dia útil depois do início da piracema - período de reprodução dos peixes - e é obrigatória, com o objetivo de controlar a pesca predatória.


“Até fevereiro a pesca está proibida. Ou seja, não dá para ter mais peixe do que o declarado porque ninguém mais pode capturar. Com a fiscalização, vamos flagrar quem trabalha na clandestinidade”, afirma o tenente Alessandro Daleck Moreira, comandante da Polícia Ambiental de Rio Preto.


Em um dos casos, o comerciante tentou burlar a fiscalização ao apresentar documento em que declarava quantidade de mil quilos de pescado, 800 quilos a mais do que realmente havia em estoque. “Provavelmente ele já estava pensando em estocar mais e achou que assim não teria problema”, diz o tenente.



Depois de denúncia anônima, a polícia também chegou a um pescador amador que tinha, em sua casa, 65 quilos de peixe, quando o permitido é até dez quilos e mais um exemplar. A operação foi realizada nos municípios de Orindiúva, Paulo de Faria, Icém, Nova Granada, Rio Preto e Guapiaçu e continua até sexta-feira. Os peixes apreendidos foram doados a entidades assistentes de Rio Preto e região.

Nenhum comentário:

Postar um comentário