terça-feira, 31 de agosto de 2010

Tempo seco faz crescer espuma de Pirapora

Fonte: www.estadao.com.br
Matéria publicada 31 de agosto de 2010.




O tempo seco fez aumentar um fenômeno que desde 1983 atinge a cidade de Pirapora do Bom Jesus, a 54 quilômetros da capital: a formação da espuma no Rio Tietê. Composta por esgotos domésticos e resíduos industriais, ela se forma quando a água do rio chega à barragem de Pirapora e cai de uma altura de 25 metros.

O problema teve início há 27 anos, quando o governo do Estado determinou que fosse suspenso o bombeamento da água do Tietê para o Rio Pinheiros e daí para a Represa Billings. Assim, o Tietê seguiria seu curso normal em direção ao Rio Paraná.




Mas a espuma com detergente, sabão em pó e amaciantes que não se diluem não polui só as águas do Tietê. Os flocos espalhados pelo vento também queimam gramados, sujam as roupas penduradas nos varais e mancham carros nas ruas da cidade.

"A gente já se acostumou com essa espuma. Mas ela incomoda muito e tem cheiro muito ruim. Quando o tempo fica seco, a coisa piora", reclama José Luiz Correia, dono de um comércio na Rua Nossa Senhora de Fátima.

A Secretaria de Estado de Saneamento e Energia alega que não houve alteração no volume de espuma em Pirapora do Bom Jesus. "A Sabesp controla diariamente o local por meio do sistema chamado aspersor - bicos que jateiam água sob pressão -, que ajuda a dissipar as espumas nos pontos mais críticos.


2 comentários:

  1. A terceira foto ficou tão bonita que nem parece efeito da poluição.

    ResponderExcluir
  2. Tem razão ! Seria bem melhor se fizesse parte da paisagem natural, mas infelizmente não !

    ResponderExcluir