domingo, 4 de julho de 2010

Conhecendo as iscas artificiais



Temos disponíveis hoje no mercado diversos tipos de iscas artificiais, para pescarias diversas e com trabalhos diferentes de cada isca na água.

O pescador terá que produzir o movimento dando vida a um objeto que pode ser de madeira, plástico ou metal.Os peixes que estiverem perto da isca poderão morder a mesma pelas mais diversas razões. O movimento de uma isca artificial pode provocar inúmeras reações nos peixes: proteger os filhotes, ou mesmo atacar um peixe invasor...



Outros fatores também devem ser levados em consideração na utilização da isca artificial como local onde o pescador irá arremessar a isca. Peixes predadores, por exemplo, preferem caçar em locais com galhos, troncos ou pedras dos quais faz seu esconderijo.

As iscas artificiais possuem tipos de trabalho diferentes, e profundidades diferentes.


ISCAS DE SUPERFÍCIE

Trabalham na superfície da agua e até 30 cm de profundidade (subsuperfície). São as mais emocionantes, porque além de sentirmos o ataque do peixe podemos visualizar a explosão na água. Podem ser de vários tipos:

Stick - quando paradas ficam na posição vertical ou inclinada, e quando em movimento ela faz movimentos em subsuperfície (mergulhos intermitentes) que imitam o peixe ferido.


Popper - possui uma cabeça chanfrada(côncava), semelhante a uma boca e com o trabalho de ponta de vara dando pequenos toques, a cabeça chanfrada espalha a água e faz barulho.


Hélices - iscas com hélices que acabam causando turbulência na água e fazendo barulho, atraindo os peixes, imitando insetos ou peixes em fuga.


Zara - iscas que quando trabalhadas adequadamente (toques simultâneos com recolhimento) faz movimentos em zig-zag, também simulando peixes feridos.


Minnow Floating - iscas sem barbela, que flutuam, podendo ser de superfície e subsuperfície, de movimentos variados, dependente da habilidade do pescador. Funciona bem quando reproduz movimentos erráticos.


Buzz bait - movimento contínuos em superfície, com uma espécie de hélice que faz barulho e um penacho (cerdas ou filamentos) que fica dentro da água.


ISCAS DE MEIA-ÁGUA

Iscas com barbela curta - nadam continuamente em profundidade média.


Plugs suspending - com peso específico muito próximo ao da água, que faz com que, quando em repouso, permaneçam praticamente estáticas na profundidade que estão.


ISCAS DE FUNDO

Iscas com barbela longa - nadam continuamente no mais profundamente, de acordo com o comprimento da barbela. Podem chegar a 4-5 metros de profundidade, são muito utilizadas na pesca de corrico.


Jumping jigs - são iscas de metal que procuram imitar pequenos peixes. Devem ser trabalhadas com toques curtos e/ou longos de ponta de vara, procurando com isso imitar uma possível presa se debatendo ou tentando fugir.


COLHERES, ESPINNERS, JIGS, SHADS E SAPOS

Colheres - têm um formato côncavo, semelhante a uma colher, e quando tracionadas executam um movimento oscilante que é um forte atrativo para os peixes predadores. São usadas num movimento de recolhimento contínuo. Algumas colheres têm um dispositivo anti-enrosco, que facilita seu uso no meio de pauleiras e vegetação aquática.


Spinners - são iscas formadas por um pequeno corpo metálico atravessado por um arame de aço rígido, tendo numa extremidade a garatéia ou anzol, e na parte superior uma folha metálica que gira quando a isca é puxada, causando reflexos e turbulência na água.


Spinners bait - são espinners com cerdas ou filamentos presos à garatéia, aumentando a atratividade da isca. São utilizadas num movimento contínuo de recolhimento.



Jigs
- têm uma cabeça ou corpo de metal presa ao anzol e uma “saia” de penas ou de fios sintéticos, cujo movimento é a atração que provoca os ataques dos peixes. Alguns têm dispositivos anti-enrosco.


Shad - é uma isca artificial em formato de peixes fabricada em materiais flexíveis e macios como silicone e borracha.


SAPOS - recomendados para pesca em locais de vegetação aquática abundante ou com obstaculos como galhos, troncos, pedras, etc. No entanto, podem ser utilizadas nas mais diversas situações de pesca. Muito utilizado na pesca de traíras.


Moscas - utilizadas na pesca com fly.


Ainda existem muitas outras, dentre elas camarões artificiais, miçangas (muito utilizadas em pesqueiros) e outras.

No site pessoal do Nelson Nakamura existe um tópico sobre iscas artificiais que mostra animações de diversas iscas artificias trabalhando.

www.nelsonnakamura.com.br



No youtube também é possível encontrar vídeos de como trabalhar cada tipo de isca.

6 comentários:

  1. olá Marcelo, parabens pelo blog! Estava procurando sites com dicas de artificiais para tucunarés e acabei encontrando seu blog.. parabens.. Qual isca artificial vc utiliza para pesca de traíra em lagos? abraços

    ResponderExcluir
  2. Olá Alisson ! Obrigado !

    Desculpa a demora em responder sua pergunta. Vou tentar responde-lá com base em informações colhidas com amigos, pois ainda nunca pesquei as dentuças com iscas artificiais. As iscas mais usadas são frogline (sapinho), spinners, iscas de meia água com ratling (barulhentas) e popers. O trabalho deve ser bem lento pois a danada é preguiçosa... a isca tem que passar na cara dela e ainda assim ela vai atacar na terceira ou quarta vez !!
    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já peguei com iscas de meia água... estraga a isca mas vale a diversão

      Excluir
  3. Valeu Marcelo pelas dicas! Agora, estava pesquisando iscas artificiais, encontrei uma chamada "araçatubinha" e bons relatos da eficacia dela em represas para tucunas. Além de eficiente, seu custo é barato.. Vc conhece e as utiliza aqui no tiete?
    Abraço

    ResponderExcluir
  4. Que legal, adorei as dicas. Post muito bom.
    Eu vi essas iscas para vender e gostaria de saber para qual peixe são recomendadas http://www.tucunarepesca.com.br/isca-artificial
    Conhece essa loja?

    ResponderExcluir